Humberto   Bley   Menezes

Prosas e Versos

Textos


TRIVIAL CASEIRO

Se você é recém casada, nunca cozinhou na vida ,certamente gostaria de saber como fazer um almocinho simples para o maridinho, não? Deve estar pensando em surpreender seu homem e provar para sua querida mãezinha que você pode. Melhor seria ter ouvido os conselhos maternos e tentado aprender. Mas não, em vez disto escolheu passar o tempo no computador, no chópim e nas baladas. Foi numa desta que sem querer querendo engravidou. Ainda bem que o moço é boa gente. Assumiu e casou .Tudo bem. Agora é fazer a tua parte. O moço trabalha é esforçado e por enquanto vai cumprindo com a obrigação de manter sozinho a casa enquanto você espera o rebento. Para sua sorte ele te adora te enche de carinho de noite e de dia e ainda mora longe da família. Sem problemas com sogra, certo? Bom, então porque não arriscar? Surpreender com um almoçinho caseiro para começar. Não é tão complicado assim Com um pouco de boa vontade tudo sairá bem. Ele vai lembrar-se da casa da mamãe e de quanto era feliz e não sabia. Vamos lá:

Primeiro passo: Vá até a cozinha e se apresente à aqueles objetos que lá se encontram.O fogão é aquele que ostenta em cima quatro bolachas pretas abaixo de uma grade e cinco botões na frente. Possui um depósito escuro chamado forno. Não se preocupe desta vez não irá usá-lo (o forno), fica para outra quando atingires o estágio intermediário. Verifique se tem na sua cozinha tudo o que vai precisar: além do fogão, a geladeira e aquele parecido com televisão; o micro ondas, este mesmo que você esquenta aquela sopinha de envelope. Na verdade esqueça o micro. Tire do armário aquele faqueiro que você ganhou da sua querida, mui amada e distante madrinha. Abra a caixa de panelas, selecione a frigideira maior do conjunto chinês, aquele envolto em papel celofane, e duas panelas desta caixa enorme, presente daquela tia que mora em Londres. Cuidado para não abrir a caixa do relógio cuco, não vai ser útil nesta empreitada. O titio telefonou para saber se vocês haviam gostado. Adoramos, você disse, obrigado vou usar bastante este jogo de panelas. Bom filha, mas não estou falando de mestre cuca mas do relógio cuco. O tio ficou magoado. A gente se atrapalha mesmo, paciência.

Então trate de levantar cedo e depois que o benzinho sair para trabalhar vá às compras

.Segundo passo: No mercado compre arroz, feijão, óleo, cebola, pimenta do reino, alho, manteiga, ovos e sal. Não fique nervosa se não achar o tal do sal agosto. As receitas geralmente citam estas palavras, mas o sal a gosto quer dizer que você pode colocar a quantidade que mais agrada seu paladar, não é uma marca de sal. Compre também batatas, um maço de agriões, cheiro verde e um bom azeite de oliva. Algum atendente no mercado pode te apresentar ao agrião e ao tal cheiro verde. Trata-se daquele maçinho de cebolinha verde e salsinha. Não se assuste, não é complicado. As folhas compridas e redondinhas parecendo um canudinho de festa é a cebolinha, o outro matinho é a salsinha.

Muito bem, mas falta o principal: a carne. Esta é a parte mais difícil. Sua mãe sempre comentava que carne se compra em açougue e no açougueiro de confiança. Aí então poste-se a frente do balcão e sorria para o açougueiro. É um belo começo para ser bem servida. Observe se ele te olha com respeito ou já enfiou aquele olhar guloso no seu decote. Finja olhar as peças de carne na vitrine. Não precisa pensar em pedir CPF, Título de Eleitor, Comprovante de endereço ou Folha Corrida na Polícia, o moço provavelmente é de confiança. Afinal toda a fila está disposta a ser atendida por ele. Olhando bem ele é até simpático. Peça então quatro bifes de alcatra, não muito grossos.

-Se estiver bom, te elejo meu açougueiro de confiança!

Não precisava dizer nada, mas já que disse poderia disfarçar este rostinho vermelho de constrangimento. Ignore os sorrisos maldosos das mulheres da fila. Saia de fininho, direto ao caixa e correndo para casa. Ufa!



Continua... Saí para almoçar.













Humberto Bley Menezes
Enviado por Humberto Bley Menezes em 23/08/2008
Alterado em 25/08/2008


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras